https://i2.wp.com/gangrenagasosa.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/04/Pg-Mulambo-0.jpg
https://i1.wp.com/gangrenagasosa.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/04/Pg-Mulambo-2.jpg


Percussão

Maria Mulambo era filha de escrava com um senhor feudal de muitas terras que a tratava como esposa e não como escrava, por mais que existisse preconceito das pessoas da cidade por ela ser negra. Ela não conheceu sua mãe falecida em seu parto, mas foi criada por seu pai com todos os luxos e todos na cidade a tratavam gentilmente, sobretudo os mais nobres por conta de seu pai ter muitas riquezas e poder na cidade. Quando completou 18 anos perdeu seu pai para uma doença incurável de uma forma muito sofrida. A linda jovem Maria era herdeira de uma fortuna mas estava sozinha no mundo e muito infeliz. Quando o povo da cidade soube da morte de seu pai as coisas mudaram completamente, pois apesar de ser uma bela morena, para todos não passava de uma escrava que se escondia atrás de jóias e vestidos caros. Após alguns meses de reclusão, sofrimento e tristeza, resolveu sair um pouco mesmo sabendo que as pessoas a iriam descriminar. Passou a andar com os humildes para não sofrer preconceito e por fazer doações generosas às famílias pobres do vilarejo passaram a chamá-la de ‘Princesa dos Escravos’.

Se apaixonou por um rapaz pobre à primeira vista e logo se casou com ele. Quando sua solidão e tristeza pareciam ter chegado ao fim seu sonho virou pesadelo.

Saiu como costumava fazer todos os dias para visitar as famílias pobres, mas quando ela retornou os escravos que a serviram por tantos anos a impediram de entrar em sua própria mansão a mando de seu marido, que a traiu roubando toda sua fortuna.

Desnorteada, vagava pelas ruas, machucada não pela perda da riqueza, mas pela traição da única pessoa que ainda lhe restara na vida. Suas roupas finas viraram farrapos, sua fisionomia ficou triste e escura, mas a sua beleza era visível para todos que passavam e viam aquela mulher com a mão estendida suja e esfarrapada. Até o dia em que Sete Saias, dona de um famoso cabaré passou pela calçada, olhou para ela e perguntou:
– És tão bela! Porque está mendigando? Mesmo sem ser respondida, Sete Saias fez um convite:
– Venha comigo. Você terá todos os homens aos seus pés e voltará a ser rica.

Maria Mulambo aceitou o convite, fez o dobro da fortuna que tinha por ser a dama mais procurada no cabaré, mas guardou seu coração para que fosse rigorosa e fria na sua nova vida. Um dia o homem que destruiu sua vida e roubou seus bens foi conferir se o boato que se alastrou pela cidade era verdadeiro e encontrou Maria Mulambo no Cabaré. Ele pediu perdão por tudo que tinha feito e marcou um encontro com ela em uma encruzilhada distante à meia noite. À meia-noite saiu escondida com uma capa preta com a esperança de reencontrar a felicidade. Ao se encontrarem ele se aproximou e disse:
-Você foi a mulher mais linda que conheci em toda minha vida e não dividirei sua beleza com ninguém. Vou te matar por amor.
Ela foi contida por 6 capangas, esfaqueada varias vezes, atirada ao lixo e queimada viva.

Por isso Mulambo é rainha de uma falange de Pomba Giras que curam a dor de pessoas que sofrem com traição e auxiliam relacionamentos amorosos. Seu Axé é caracterizado por respeito e fertilidade.